20.8.07

Aliviado

Sempre fui activo.
Desporto, actividades físicas e ao ar livre preenchiam os meus dias quando era pequenote. Desde jogar à bola, à apanhada, à mosca, sirumba, futebol humano, à bota ou ao labirinto, tudo servia para gastar as energias. Admito que também gostava destas brincadeiras porque era conhecido como o “acelera”, como analogia aos tipos que andam nas estradas portuguesas a aterrorizar os condutores de fim de semana. Era tramado a apanhar e ainda mais tramado a fugir.

Eram, e são, brincadeiras francamente divertidas... e algumas violentas. Não sei se alguma vez jogaram à Bota? A malta desenhava uma bota gigante no cimento – ou alcatrão – com um pedaço de tijolo e depois havia um que tentava apanhar os outros – como em quase todos os jogos – mas este tinha a piada de que quem fugia podia sair da bota – apenas sair - sem ser pelo cano da bota, podendo saltar o risco, mas quem apanhava só podia sair ou entrar pelo cano. Não se podia apanhar se um tivesse dentro e o outro fora, nem pisar o risco. Era engraçado. Mas o mais engraçado era que quem fosse apanhado tinha que fugir para o coito – a uns bons metros da bota – como se não houvesse amanhã pois estava a levar PONTAPÉS até lá chegar. Tanto pontapé que eu dei... e levei... quando os mais velhos vinham jogar... bandidos!

Nunca fui muito de televisão nem de computador. Preferia ir para o parque mais próximo, andar de bina, sacar uns cavalinhos, esfolar o joelho, partir a cabeça. A verdade é que estas brincadeiras já me valeram algumas cicatrizes de ponto cruz. Duas na cabeça, uma na mão esquerda porque choquei de frente contra outra bicicleta, uma na virilha porque caí – sentei-me a alta velocidade! – na lâmina de um machado, uma no queixo porque caí de um muro. Acho que pontos de cruz é tudo.

A minha mãe sempre disse que eu a ia desgraçar. Enganou-se. Cheguei a adulto são e salvo. Com algumas mazelas mas pouco ou nada se notam.

Mais crescidote, abrandei o ritmo, tornei-me mais preguiçoso, mas quando estou numa praia ou assim é raro conseguir estar quieto - a Patrícia que o diga – vem jogar às raquetes!? Vamos dar uma volta à beira mar?! Correr um pouco na areia?! – Deixa-me ler! Só 5 min!

Nunca fui de sestas. Achava perda de tempo! Até porque eu não tenho a sorte de adormecer em 27s – como determinadas pessoas – e assim quando estava a ficar sonolento já era hora de terminar... que desatino!

A única altura em que adormeço em segundos é em viagem. Inclusive se for a conduzir. Bom, neste ultimo caso o sono ataca-me mas eu faço uma força enorme para lhe resistir. Sempre que viajava com os meus pais, aquilo era tiro e queda e o meu pai é um daqueles que aterroriza os condutores de fim de semana. Mas nada, naquelas alturas, demovia o Sr. Pestana. Actualmente, continuo com essa característica, mas adequada ao facto de me fazer transportar essencialmente de avião. A “vontade” é tanta que se o avião demorar mais do que o habitual a descolar já estou a ferrar olho ainda em terra.

Entretanto cheguei a Macau! Bolas! Andei 7, quase 8, meses para perceber o que se passa comigo. Tenho sono 23h por dia. Sim, inclusive quando estou a dormir. A vontade – teórica - de fazer exercício é muita mas a disponibilidade é quase nenhuma. Ando sempre cansado, se corro um pouco fico cheio de dores musculares, se corro mais um pouco, fico com falta de ar, às vezes sinto que estou meio aluado e tudo. Mas que se passa?! Perguntava eu à Patrícia. Ando sempre com sono! Mesmo!

Descobri a razão e a reacção física:
Under conditions of high humidity, the evaporation of sweat from the skin is decreased and the body's efforts to maintain an acceptable body temperature may be significantly impaired. Also, if the atmosphere is as warm as or warmer than the skin during times of high humidity, blood brought to the body surface cannot shed heat by conduction to the air, and a condition called hyperpyrexia results. With so much blood going to the external surface of the body, relatively less goes to the active muscles, the brain, and other internal organs. Physical strength declines and fatigue occurs sooner than it would otherwise. Alertness and mental capacity also may be affected. This resulting condition is called heat stroke or hyperthermia.
~
P.S: The most humid cities on earth are generally located closer to the equator, near coastal regions. Historically, cities in South and Southeast Asia seem to be among the most "uncomfortable" in terms of humidity.

Obrigado Wiki!

Ah... aquela hora que não tenho sono é quando estou a... dormeci...

7 comentários:

Ana Margarido disse...

Vê as coisas pelo lado positivo, quando andavas por cá, tinhas a pancada dos cremes por causa da pele seca. Assim, é mais difícil que a tua pele seque.

Beijinhos,
Ana

P.S. - Na exposição dos Corpos, diziam que se deve beber 2l de água por dia... Deve ser verdade, por isso não te esqueças!

playmaker 10 disse...

Cara Ana,

em primeiro, obrigado pela tua defesa.

Em segundo, isso da "pancada dos cremes" é uma grande calunia. Eu nesta pele rude e áspera apenas coloco sabão azul e esfregão palha de aço. Vamos lá a ver...

Beijinhos!

Ana Margarido disse...

É pá! Quem és tu e o que fizeste ao Pedro que metia mais cremes hidratantes que eu?

playmaker 10 disse...

Pronto, agora deu-te pra isto.

Anónimo disse...

paymaker

afinal de que região de portugal és tu? é que descreves jogos que nunca ouvi falar nem em contos tradicionais.... mas o da bota deve ser de sadico-pancadaria...bem que nunca o jogaria....mas a mosca,surumba e fotebol humano, são outros que tais.
cada terra com seu uso/jogo
e cada
roca/gaiato/puto/miudo
com seu fuso/panca/mania/nóia....

e viva o franco convivío entre povos....

playmaker 10 disse...

Boas,

sou de Cascais. Será que eramos os unicos a jogar à Sirumba? Ou outros que tais?

Se calhar tinham outros nomes. Variam de região para região?

Abraço.

Esposende disse...

Nao sabia da existencia deste espaço tao saudosista:)
Sirumba, mosca, bota(? desconheço) mas deve ser engraçado...
Tambem joguei a esses tipos de jogos...descalça!!!
Actualmente estou no Brasil (temporario) e aqui as brincadeiras sao outras.... Os ricos brincam com as consolas e frente aos pc´s. Os pobres poe à prova a sua "mira" e sem grandes remorços ou problemas disparam....

Mas as nossas crianças tb sofrem com a época contemporanea e modernista!!! Socializarem-se, só nos jardins de infancia ou atraves dos computadores ou telemoveis!!!

Nossa, que sorte eu tive!!!