19.11.07

Fim de Semana

O fim de semana foi marcado pelo Grande Prémio de Macau, mas a mim não marcou muito, na verdade passou-me ao lado, nem na TV vi. Nunca fui grande adepto de desportos motorizados, aos meus olhos são seriamente aborrecidos. Daqueles desportos que são, vá, cerca de 378’233 vezes mais divertidos para quem os faz do que para quem os vê. Ao vivo sente-se a “vida” da coisa, o espírito, o som – ou barulho – ou musica – dos motores, a velocidade, mas perde-se, vá, 70% da corrida, por outro lado na TV acompanha-se, fundamentalmente, a corrida dos da frente, mas perde-se a noção de velocidade e a adrenalina fica por subir. Apesar disto, gostei de cá estar para ver como um circuito citadino é organizado e como a cidade se adapta de uma forma espectacular a uma mudança tão rápida e profunda. Devo-vos dizer que o meu pai é um individuo capaz de arranjar convites para quase tudo o que é corrida no Autódromo do Estoril e eu de inicio ainda ia...

Agora, o meu fim de semana. Como todo o bom fim de semana começou na sexta-feira. Andava difícil de ver um filme diferente e bom. Beowulf é um filme de acção em animação, excelente e original. Ouvi dizer que tem uma versão 3D com a tecnologia RealD, a que vi não sei se é 3D ou não, mas de qualquer modo eu não tinha óculos apropriados e mesmo não vendo as personagens a “voar” pelo espaço da sala de cinema a animação está espectacular. Recomendo. Mais que não seja, tanto para as meninas como para os meninos as personagens estão muito bem desenhadas.
Como viram no remate anterior Sábado foi marcado por um passeio diferente na Ilha de Coloane. Gostei muito. A ideia a reter é que se Macau tivesse um mar assim só mais ou menos eu encontrava-me num dos locais mais afortunados do mundo. Mas não tem.
Bom, mas Sábado ainda teve o Cabaret Bizarro da Mexica Astrid, foi um espectáculo positivamente humilde e assumidamente descontraído, ri, saí bem disposto e por mim já está bom. Do espectáculo fixei a seguinte frase: “Visit the United States, before they visit you”.
Domingo, é Domingo, por aqui tem sido marcado, com alguma regularidade, pelo não se faz nada. Bem bom! Ou não...

A selecção continua preguiçosa mas cumpriu.

Amanhã é dia de ir para Jinan, vai daí que vos desejo uma boa semana.

17.11.07

16.11.07

Jinan, no Norte da China

Boas!
Afinal de contas, antes de Boracay ainda vou a Jinan numa viagem que no pedido para o visto para a China leva o “certinho” no quadrado de Business Travel.

Ah pois é! Vou lá assistir, participar, supervisionar, verificar - e acima de tudo aprender – o resultado dos teste de aceitação em fábrica (FAT). Isto é, verificar se o equipamento cumpre as nossas especificações e pode de facto ser enviado para Macau para posterior instalação. O equipamento é um transformador de potência 220/110kV, portanto um bicho, com certeza, maior que o vosso quarto. Vai ser, acredito eu, a minha primeira experiência num ambiente profissional quase exclusivamente chinês...

Em relação a Jinan, é uma cidade “nova”, em grande crescimento industrial, com fábricas de diversas multinacionais - Panasonic, Matsushita, Siemens, Pepsi-Cola, Volvo - e fundamentalmente conhecida pelas muitas termas (ou springs). Sendo no norte a temperatura que por lá se encontra pode ser definida como “um calor esquisito”, oscilando por esta altura entre o 1º e os 15ºC. Se tiver tempo, com este calor esquisito que se faz sentir, sou capaz de me pôr de molho.

Ass: O afortunado

15.11.07

E pronto, andamos nisto

Ronaldo - O regresso do futebol

Está a chegar a hora. Ok, falta cerca de um mês...

Desde a edição de 2000, em que ganhou o Zidane, julgo que não existe uma “luta” tão renhida pelo título de melhor jogador do mundo. O engraçado é que em ambas as edições tínhamos na luta Portugueses, em 2000 o Figo e agora o nosso Ronaldo. Se calhar sou eu que estou moldado pelo patriotismo... e sempre houve grande expectativa para ver quem seria o eleito.
Este ano, para gáudio dos adeptos de futebol, os principais candidatos são bastante jovens, todos eles criativos e de uma técnica fabulosa, levando a querer que poderão bater recordes se a balança começar a pender para um dos lados. A parte mais espectacular desta luta é que de facto não é unânime qual deles é o melhor ou qual foi e está a ser o melhor. Enquanto que no tempo de Zidane, para mim o melhor jogador que alguma vez vi jogar, era uma luta desigual. Tanto achava isso que cheguei a enviar um e-mail à FIFA a sugerir que criasse um prémio apenas para o Zidane – por exemplo One of a Kind - e que os restantes lutassem entre si para o melhor jogador do mundo. Desigual porque mesmo numa época menos boa de Zidane era claro que era o melhor jogador do mundo o que fazia parecer parvo – a meu ver - atribuir o prémio a outro, mesmo que este tivesse realizado uma época de sonho.
Não posso deixar de referir o Fenómeno, 9.Ronaldo, um jogador que estoirou com tudo o que se achava não ser possível fazer no futebol, aliava uma força explosiva a uma técnica e controlo de bola em excesso de velocidade só ao alcance dos predestinados, fez dele o maior fenómeno desportivo do final do século e o jogador que mais vezes me fez abrir a boca de espanto. Desconfio que só o grande 9.Ronaldo de inicio de carreira teria capacidade de fazer frente ao Zidane.

Em relação ao presente, estamos de facto perante jogadores com um talento inacreditável. Será que houve, alguma vez, num mesmo instante tantos jogadores possíveis ou com potencial de serem considerados os melhores do mundo? Os próximos anos serão ainda mais engraçados... Assim de repente lembro-me destes jeitosos:

Henry – 30
Drogba – 29
Lampard – 29
Pirlo – 28
Ronaldinho – 27
Ibrahimovic – 26
Kaká – 25
Robinho – 23
C. Ronaldo – 22
Rooney – 22
Fábregas – 20
Messi – 20

Desta lista destaco dois, Ronaldinho e Messi. Julgo que estes dois estão noutro patamar no que diz respeito ao domínio do tempo e do espaço. Se calhar mais o Messi. Reparem que quando ele tem a bola os outros parecem estar em câmara lenta, ele “tem tempo” para fazer coisas com a bola que a maioria não faria se estivesse sozinho em campo. Referência ao nosso Ronaldo, da lista é claramente o jogador mais completo!
Fábregas não é candidato para este ano, mas acredito que estará para breve e será um forte. Com ele espero ver a aparecer nomes como Quaresma e Nani.  E já agora Ricardo Carvalho.

P.S: Para quem estava desconfiado do 7.Ronaldo, neste inicio de época já marcou 3 golos em 3 jogos pela Selecção e 8 golos em 13 jogos pelo MU. Em relação a assistências e envolvimento indirecto em jogadas que deram golo ou foram perigosas achei que não era necessário referir: vejam o resumo dos jogos!

Kaka ou Ronaldo? Eu cá sei, mas vejam o vídeo.


Kaka vs Cristiano Ronaldo - For more funny videos, click here

E ainda este, se quiserem.

Pronto, O Kaka é muito bom, mas o 7.Ronaldo é, no mínimo, mais espectacular

Noutro dia

Vi uma chinesa com umas botas iguais as que a artista apresenta e lembrei-me...



P.S: Desculpem o som estar desfasado da imagem.

13.11.07

Soltas

O novo “malhuco” da Patrícia, o canito do estabelecimento de comidas da nossa rua.

Actualização sobre o estado em que Macau se encontra.

Podem ver a “minha” paragem de autocarro, do lado de lá dos raids, uma das zonas quentes do circuito e ainda a torre de controlo.

E quando digo que há muito gente não estou a brincar, este é o transito que nos desafia, lá no bairro, a um Domingo normal a uma hora que já não é de ponta.

E por último temos a actualização da vista aqui de casa, lado poente, o que dantes era o Pier 16 (ou Ponte 16) é agora o Pier 16 (ou Ponte 16) mas para outro efeito. O bom é que renovou a vista ali para aquelas bandas, em vez de canal e serra vemos agora aquilo. Aviso já que o Grand Lisboa está quase quase a ser concluído, a ala nascente está quase renovada.

Obsceno, niga, obsceno.

Yo dread, xeca ai o video. Man... Eu e a minha dama curtimos tótil no concerto. Foi uma cena tipo, memo fora, memo baril, tás a ver? Desbundámos memo bué, man. Aquela cena man foi sempre a abrir, sempa tripar, do best.

video



video

Tão bom que nem parecia uma produção portuguesa... A música chinoca tem esta energia toda? :)



12.11.07

Lamechas ou assim...


Foste a razão da viagem de umas férias para fugir
(~)
Foste a frescura da minha sede
Andei contigo na minha mão
Foste a frescura da minha sede
Andei contigo na minha mão
Pintei a boca de rosa e verde
Foste o gelado do meu verão
(~)
Teu corpo minha toalha, foste o Sol da minha cor
Teu corpo minha toalha, foste o Sol da minha cor
Foste o mar da minha praia, tu foste o meu bronzeador
(~)

8.11.07

Coisas que devemos saber: A liderança do Partido Comunista Chinês

Segundo remate sobre a história recente da China. Relembro que não tenciono descrever com precisão acontecimentos históricos mas apenas passar algumas das coisas que li, que fixei e que me ajudam a perceber este povo.

Nota: Todos as citações foram retiradas do livro Cisnes Selvagens.

Em 1948 o "exército do povo" começou a tomar conta das principais cidades que estavam sobre o comando do Kuomintang até que por fim expulsaram uns, mataram outros e “converteram” alguns. Em menos de 3 meses colocaram a China a carburar, dando mostras da sua organização, rigidez, capacidade trabalho e dedicação pela “causa”.
Na minha opinião, distante e moldada pela educação tolerante, “causa” está – ou estava? – para o Partido Comunista Chinês (PCC) como “fé” está para os extremistas religiosos. Ser comunista chinês não era ser, era querer ser, era um processo de aprendizagem que demorava tempo, exigia dedicação, devoção e exclusividade. Tinha que se saber sofrer e calar, ser duro e humilde. Acreditar. Com muita “fé”. Defender a “causa” acima de tudo. Tudo e todos.

Para além de mostrarem uma grande proximidade ao povo (na sua maioria camponeses) ainda faziam a China crescer, colocaram as fábricas a trabalhar, os campos a produzir mais, a comida e os bens mais distribuídos, no entanto, outros factores começaram também a ganhar dimensão no comunismo chinês, a saber, as reuniões de denuncia e as autocríticas publicas, onde a ideia era o castigo por comportamentos menos próprios de um comunista e promover o controlo detalhado da vida de cada membro. Neste último caso, todos controlavam todos e a menor “falha” perante a causa era denunciada e, muitas vezes, exacerbada. Também era comum utilizar estas denúncias para dar azo à inveja e a vinganças pessoais, onde algumas vezes pura e simplesmente se inventava.
Este controlo era rigoroso “A minha mãe foi intimada a traçar uma linha entre ela e os amigos. «Traçar uma linha» foi um dos mecanismos chave que os comunistas introduziram para acentuar a separação entre os «de dentro» e os «de fora». Nada, nem sequer as relações pessoais, eram deixadas ao acaso ou podiam funcionar livremente… Na altura, uma regra não escrita estipulava que nenhum revolucionário devia passar a noite fora do seu local de trabalho, a não ser ao sábado… Tens de obedecer ao partido mesmo que não compreendas ou não concordes com ele. Aquela era fundamentalmente uma revolução camponesa… Quem quisesse participar da revolução tinha por obrigação endurecer-se ao ponto de tornar-se imune às privações.”
De facto a vida dos revolucionários não era fácil nem se previa fácil, mas naquele momento o fim justificava os meios e o povo já sentia as diferenças - "O novo governo convidou os camponeses a virem vender os seus produtos na cidade, e encorajou-os a fazê-lo fixando os preços no dobro do que recebiam no campo. O preço do sorgo caiu rapidamente, de 200 milhões de dólares do Kuomintang o quilo para 4400 dólares. Pouco depois, um trabalhador médio podia comprar dois quilos de sorgo com o que ganhava num dia. Os comunistas distribuíam alimentos, sal e carvão pelos mais pobres. Outra coisa que conquistou a boa vontade da população local foi a disciplina dos soldados comunistas. Não só não se verificavam saques nem violações, como muitos demonstravam um comportamento verdadeiramente exemplar..."

Cenas estranhas

Macau tem muita coisa estranha!
Quando vamos à China mainland estamos sempre à espera de tudo e mais umas botas, no entanto em Macau o sentimento é outro, talvez por ter muitas coisas familiares - arquitectura, cultura, a língua, comidas, bebidas e por aí fora - ficamos menos protegidos, menos na retaguarda e expomo-nos mais à surpresa.

Introdução feita, o que eu quero é falar-vos no Bacalhau À Brás que comi ontem ao almoço. Estava de facto até bastante bom. A surpresa aconteceu porque estando eu num “restaurante” que serve este tão típico e delicioso prato português nunca esperaria que viesse acompanhado por um prato, à parte, cheio de arroz e com umas folhas de hortaliça. Ora vejam lá na foto.


O impressionante é que até têm o “pudim da casa” e comprovadamente muito bom.
Claro está que fazendo jus ao ditado “na china sê chinês” tive a coragem de entre as muitas grafadas no Bacalhau ir roubar ao prato vizinho uns quantos grãos de arroz.

Nota: Por cá não existe o conceito de entrada, prato principal, sobremesa e café. Isto é levado ao extremo quando “eles” criam os conhecidos set lunch que incluem café. Para surpresa vossa a primeira coisa a chegar à mesa, depois do obvio copo de chá, costuma ser o belo do expresso acabadinho de fazer. Surpresa apenas vossa, porque se pensares bem, faz todo o sentido; olha lá, pediste o menu, ou seja, foi pedido tudo ao mesmo tempo, e o que demora menos tempo a fazer? Certo! O café.
Vamos lá a ter sentido prático, não sejamos picuinhas.

7.11.07

Só para ocupar espaço

Amigos do Portugal, uma pequena lista de rotinas e curiosidades destas bandas:

  • no fim das refeições trazem sempre para a mesa uma mão cheia de palitos
  • na maioria dos restaurantes o “chá à refeição” não se paga
  • esta gente consegue representar os 10 números só com uma mão
  • os motociclistas não param nas passadeiras (nunca!), os restantes até param se arriscares saltar para o meio da estrada
  • nos cabeleireiros e assim existe um empregado por cadeira, nunca tive que esperar para ir à máquina
  • nos cabeleireiros e assim é possível receber massagens – ombros, costas e na cabeça, esta última com champô
  • usando pauzinhos comes sempre com uma mão livre, podes, portanto, usá-la para contar até 10
  • os autocarros são pagos como acto quase voluntário, colocas as moedinhas no buraco e já está. Não há trocos e obviamente não há picas. Quem “controla” é o condutor
  • é comum andarem pessoas de pijama na rua
  • não se espantem se virem pessoas a fazerem exercícios em local próprio mas de pijama
  • é comum os homens pintarem o cabelo, mesmo já pais de família
  • é normal o pessoal comer no local de trabalho e em simultâneo atender os clientes
  • saunas? por aqui há muitas! Casinos também

Meu querido blog

Desculpa mas ando sem paciência de escrever para e em ti!
Vai daí que me lembrei de o dizer.