9.4.07

Aguarela

Estas férias da Páscoa fomos a Yangshuo.
Este é um daqueles lugares que nos deixam fascinados, com paisagens sem explicação, habitantes simpáticos e eco-turismo.
A viagem começou na fronteira entre Zhuhai e Macau, tivemos de apanhar um táxi para o aeroporto, cerca de 40min, portanto teve de ser negociado o preço (ficou por 120 CNY) e o motorista lá nos fez a vontade. A parte gira é que fomos a viagem toda com o taxista a falar e a cantar pelo rádio com outro taxista que mais tarde percebemos que ia atrás de nós. Portanto imaginem a situação, um homem que cantava para o rádio e depois parava e depois ouvias outro homem a cantar do outro lado, 40min nisto. 40min porque eles iam a picar um com outro ao mesmo tempo que falavam e cantavam.
Chegados a Guilin, passámos lá a noite e no dia seguinte de manhã bem cedo arrancámos de barco para Yangshuo, foi um passeio agradável (cerca de 4h), estava fresquinho mas deu para ficar com uma ideia de o que nos esperava. Fomos para o nosso hostel (Yangshuo Culture House) onde encontrámos uma família chinesa com quem vivemos 4 dias, com eles e com os restantes turistas (3 alemães, 2 austríacos e 1 casal inglês), tomávamos o pequeno almoço e o jantar juntos, onde aproveitávamos para falar do que tínhamos feito e visitado e sobre nós. Ambiente espectacular e descontraído, caseiro e confortável, enfim... ambiente de chinelinho à porta de casa!
E o turismo? Bom o turismo é mesmo o melhor, no 1º dia pedimos ajuda a uma guia (por "acaso" era a cunhada do dono do hostel, para nos levar a dar uma volta de bicicleta pelo country side. Foi excelente, andámos através de pequenas aldeias, fizemos bambo rafting, subimos à Moon Hill e almoçamos o típico Yangshuo Rice Noodle, isto tudo rodeados pelos misteriosos montes. Apenas uma nota em relação aos Rice Noodels: comprámos 4 refeições por 12CNY, façam as contas. À noite fomos ver um espectáculo ao ar livre que envolve algumas centenas de actores e que tem como palco o rio e como cenário os montes e a natureza envolvente, ao que parece o encenador é o mesmo que está a preparar a cerimónia de abertura dos Jogos de Beijing (pelo que vi deste podem ter as expectativas altas para a abertura dos jogos).
No dia seguinte dispensámos a guia e fomos de autocarro a Shangri Lá (uma pequena vila fictícia para turista ver como era a vida daquelas gentes) de manhã e à tarde fomos de bike a Fuli Town, uma vila ainda mais pequena de onde, ao que parece, são originárias as tão famosas pinturas chinesas que se costumam pendurar na parede (comprámos 3...). À noite, depois do jantar em família, fomos receber uma massagem tradicional chinesa.
O dia seguinte foi Domingo e aproveitámos para descansar e regressar nas calmas.

Algumas fotos já estão online. Vale a pena ver.

1 comentário:

Ana Margarido disse...

Pronto, ganhaste.
Já temos as malas feitas.

Vê lá de arranjas trabalhinho para uma RH e um Eng. Civil.

Depois digo-te para quando marcamos o avião.